Onde está a felicidade? / Where is happiness?

Onde está a felicidade?

“No caso da felicidade existem também dois tipos: a felicidade temporal (externa) e a felicidade interna. Principalmente aqui no ocidente sempre estão buscando a felicidade fora, por não saber, sendo que a temporal não dura. Já a felicidade interna é o que já temos, mas falta reconhecer, por isso muitos vivem nessa ilusão, às vezes como forma de evadir uma dor internamente. A verdadeira felicidade surge de uma causa, ela não vem sozinha, então quais são as causa dessa verdadeira felicidade? É você cultivar o amor, a paciência, a tolerância e a mente altruísta que quer beneficiar a todos.”

-Lama Dorje

 

Por Márcio de Paula

Entrevista com Lama Dorje

Em entrevista exclusiva concedida ao jornal O jornal O Informante, Lama Dorje que esteve no Vale do Aço para ministrar palestra sobre Felicidade e Harmonia, falou sobre varios temas importantes para uma vida mais plena. O Lama teve a visão de sua missão ainda muito cedo e com apenas cinco anos pediu que os pais o levasse para o monastério. Atualmente vive em uma montanha no Chile, mas visita outros países para tentar despertar a consciência das pessoas sobre a necessidade de olhar para dentro, de controlar a mente e reconhecer a felicidade como algo próximo e palpável.

A entrevista foi acompanhada por Yimura, diretora da Escola de Bodhisattua (Poder da Mente Desperta) do Condor Blanco. Ela foi a tradutora nas palestras do Lama Dorje nessa passagem dele pelo Brasil.

 

Márcio de Paula: Em um mundo e sociedade cada vez mais caóticos como encontrar paz?

Lama Dorge – Estamos no século XXI, em um mundo moderno com evolução tecnológica, as pessoas estão muito focadas nisso, nessas aparências, e acostumadas assim desde pequena. Então acho que a forma de encontrar paz em meio a isso tudo é aprender o dharma (aquilo que sustenta), estudar uma filosofia, receber uma instrução teórica e também apreender a meditar.

 

A mente é um grande centro de poder, como colocar essa força em benefício próprio, como controlar mente?

Tem dois tipos de potencial, pode ser usado pelo lado negativo e positivo. Se for uma mente destreinada realmente estará fora de controle, tem muita distração e vai fazer o que ela quer, como um cavalo selvagem. E por outro lado a forma que temos é treinar a mente, até que um dia possa domar este cavalo, e aí sim realizar tudo que quer.

 

Onde está a felicidade?

No caso da felicidade existem também dois tipos: a felicidade temporal (externa) e a felicidade interna. Principalmente aqui no ocidente sempre estão buscando a felicidade fora, por não saber, sendo que a temporal não dura. Já a felicidade interna é o que já temos, mas falta reconhecer, por isso muitos vivem nessa ilusão, às vezes como forma de evadir uma dor internamente. A verdadeira felicidade surge de uma causa, ela não vem sozinha, então quais são as causa dessa verdadeira felicidade? É você cultivar o amor, a paciência, a tolerância e a mente altruísta que quer beneficiar a todos.

 

Vivemos em uma sociedade capitalista e a prosperidade é importante para ter melhor condição de vida, contudo, em que momento essa busca pela prosperidade deixa de ser saudável?

Claro que a prosperidade é importante, ter uma casa, recursos, mas ela deixa de ser saudável quando foca toda uma vida nisso, só buscando recursos. Quando paramos para pensar no dia em que deixar esse mundo, o que adiantou passar uma vida inteira adquirindo sempre mais dinheiro, não vai levar nada disso, é tudo temporal. Deixa de ser saudável quando coloca o foco só neste valor, e se deixa controlar por esses desejos. Imagine uma pessoa que está com muita sede e bebe uma água salgada, nunca vai matar a sede. O mais importante é o equilíbrio, quando cultivamos só o externo estamos sobrevivendo e não vivendo.

 

O apego é o grande vilão das relações?

O apego é uma das grandes causas do sofrimento, e existem vários níveis de apego alguns mais sutis e outros não. Tem o apego, a família, ao marido, a mulher, as coisas materiais, inclusive o apego a si mesmo. Uma forma de ir pouco a pouco desapegando (e quando falo desapegar não significa negar o externo ou o dinheiro) é compreender a lei da impermanência. O apego surge pela nossa visão errada de achar que todos os fenômenos externos que podemos experimentar através dos cinco sentidos são permanentes. É dai que surge o apego, mas quando compreende a impermanência, automaticamente não vai ter por que ter apego, pois nada nos pertence. O apego não nós deixa estar no tempo presente, vivendo com medo de perder algo e com aquela expectativa do futuro, então gera ansiedade e preocupação. Por isso quando compreendemos a impermanência é maravilhoso, porque podemos viver o presente. Não precisamos negar nada, os prazeres de uma boa casa, boa comida, mas saber que é passageiro, e se amanhã não tem eu estou feliz igual. Quando nos permitimos estar presente compreendemos que cada momento é uma oportunidade de desfrutar a vida. Muitos tem o mal habito e a tendência de falar “amanhã serei feliz, se tiver essa casa, esse carro, fizer aquela viagem vou ser feliz”, sempre deixando para o futuro, mas a felicidade está dentro de nós e no tempo presente.

 

Estamos caminhando como humanidade e planeta em um nível de degradação ambiental e social muito avançado. Onde iremos chegar e o que precisamos fazer?

O mundo todo está com essa violência e ambição, realmente se continuar assim virá mais sofrimento, mas se um toma a consciência já melhora sem esperar mudar todos. Cada um mudando, podemos trazer essa paz mundial, mas começa com a paz interna e cada um assumindo a sua responsabilidade. Apenas uma pessoa poderia destruir todo esse planeta e por outro lado uma pessoa que realmente desperte maior consciência pode iluminar todo esse mundo.

 

Como ter melhores relações com esposa, marido, filhos, pais e amigos, já estão cada vez mais distanciando uns dos outros, também por influência da tecnologia e das redes sociais?

Primeiro é preciso cultivar uma boa relação consigo mesmo, com um bom coração, honestidade, autodisciplina, respeito e confiança, esses são valores importantes. Se uma pessoa não está bem com ela mesma seguramente não terá boas relações. Quando está conectado com a mente egoísta, há  tendência de comparar, e a sociedade materialista, capitalista foi educada e incentivada a competir em tudo. O sofrimento, comparação, ciúmes, inveja, separação, acontece por causa desse ‘eu’, dessa mente egoísta. O budismo fala que todos somos um coração, isso significa que independente da sua forma física, se você é rico ou pobre, inteligente ou ignorante, todos sem exceção, somos buscadores e merecedores da felicidade, temos o direito de ser feliz.

 

O senhor ficou quatro anos em um retiro em silêncio. O que o silêncio nos fala, quais ensinamentos nos transmite sobre nós mesmo e o universo?

Não é tão fácil, tem muitas provas e desafios, e o silencio hoje em dia é bem difícil, temos muito barulho interno e externo, mas o silêncio ensina encontrar a própria essência, conectar com sua origem, e também sobre a união de todos os caminhos. As pessoas hoje falam muito, mas não sabem escutar, inclusive numa comunicação não sabe escutar o outro, nem a ela mesma. O silêncio não significa só calar, mas o verdadeiro silêncio é o da mente, só assim vamos nos permitir conectar com a essência pura.

 

Há uma preocupação com as gerações futuras, já que estão cada vez mais acelerados e impacientes?

A tecnologia está muito avançada, tem muitas oportunidades, mas por outro lado gera desequilíbrio, contamina pelo excesso de estímulos, a mente fica muito agitada. É preciso também estudar o mundo interno e reconhecer a vida que tem agora como uma dádiva preciosa. Que o jovem possa através do autoconhecimento despertar todo o seu potencial, ser feliz e apoiar os demais. Os jovens vivem intensamente muitas emoções, seria interessante se eles pudessem começar a meditar, assim terão a possibilidade de despertar e ver tudo com mais clareza, não sendo controlado por essas emoções apegadas a esse mundo de aparência. Através da meditação melhora a concentração. Hoje em dia as crianças sabem mexer em tudo nas redes sociais, isso faz que a mente fique agitada e corta a conexão com o coração, com o mundo interno. Estão só focados no externo e ai não vão por um bom caminho.

 

Qual a dica para alguém que nunca meditou e pretende  começar a meditar?

Existem dois tipos de meditação, a ativa e a de acalmar a mente. É bom que o corpo esteja relaxado, não importa se no chão ou na cadeira. O ideal é que seja em um lugar com silêncio, pois facilita a concentração. Pode começar respirando profundamente três vezes. Depois inspirar calmamente com consciência, pensando estar recuperando toda a energia, e expirar eliminando toda a tristeza. A outra forma de meditação é para acalmar a mente, se tiver como, pode ascender uma vela e olhar a chama, sem examinar, sem analisar, e trazer a mente para o tempo presente, concentrando apenas na chama da vela e na respiração. A respiração é inspirar pelo nariz e expirar pela boca. E durante o dia no trabalho ou dirigindo sempre se lembrar de respirar corretamente e com consciência. É melhor fazer com menos tempo e mais vezes ao dia, pode começar com um ou dois minutos, porque no início é difícil ficar concentrado, mas com a prática melhora.

 

Gostaria de dizer algo mais ou reforçar alguma coisa?

Basicamente é que a gente possa reconhecer essa vida que temos agora, esse potencial ilimitado, e que possamos praticar no dia a dia a espiritualidade. Praticar a espiritualidade não necessariamente significa ser religioso ou pertencer a um caminho, é tratar de deixar a mente positiva, ter boas intenções com os outros, com a família e fazer o bem, e ainda que não consiga fazer o bem, que tenha sempre na mente pensamentos positivos. Dalai Lama fala que a melhor religião é ter um bom coração, isso é muito simples e poderoso

Página http://jornaloinformante.com.br/2017/05/15/lama-dorje-fala-sobre-como-encontrar-felicidade-paz-acalmar-mente-e-ter-uma-vida-mais-plena/

 

 

Where is happiness?

“In the case of happiness, there are also two types: temporal (external) happiness and internal happiness. Especially here in the West they are always seeking happiness outside, not knowing, being that the temporal does not last. True happiness comes from a cause, it does not come alone, so what are the causes of this true happiness? It is you to cultivate it. Love, patience, tolerance and the altruistic mind that wants to benefit all. ”

-Lama Dorje

By Márcio de Paula

Interview with Lama Dorje

In an exclusive interview with the newspaper The Informant, Lama Dorje, who was in Vale do Aço to give a lecture on Happiness and Harmony, spoke about several important themes for a fuller life. The Lama had the vision of his mission very early and with only five years he asked that the parents took him to the monastery. He currently lives on a mountain in Chile, but visits other countries to try to awaken people’s awareness of the need to look inward, to control the mind and to recognize happiness as something close and palpable.

The interview was accompanied by Yimura, director of the Bodhisattua School (Power of Awakened Mind) of the White Condor. She was the translator in Lama Dorje’s lectures in his passage through Brazil.

Márcio de Paula: In an increasingly chaotic world and society how to find peace?

Lama Dorge – We are in the 21st century, in a modern world with technological evolution, people are very focused on this, in these appearances, and accustomed like this from an early age. So I think that the way to find peace in the middle of all this is to learn dharma (what it supports), to study a philosophy, to receive a theoretical instruction and also to learn to meditate.

The mind is a great center of power, how to put that force to its own benefit, how to control mind?

It has two types of potential, can be used on the negative and positive side. If it is an untrained mind it will really be out of control, it has a lot of distraction and will do what it wants, like a wild horse. And on the other hand the way we have is to train the mind, until one day it can tame this horse, and then to accomplish everything that wants.

 

Where is happiness?

In the case of happiness there are also two types: temporal (external) happiness and inner happiness. Especially here in the West they are always seeking happiness outside, for not knowing, being that the temporal does not last. Internal happiness is what we already have, but we still have to recognize, so many live in this illusion, sometimes as a way to evade pain internally. True happiness comes from a cause, it does not come alone, so what are the causes of this true happiness? It is you to cultivate the love, the patience, the tolerance and the altruistic mind that wants to benefit to all.

We live in a capitalist society and prosperity is important to have a better living condition, however, when does this quest for prosperity stop being healthy?

Of course prosperity is important, having a home, resources, but it stops being healthy when you focus a whole life on it, just looking for resources. When we stop to think about the day we leave this world, which means spending a lifetime acquiring more money, it will not take any of this, it’s all temporal. It ceases to be healthy when you focus only on this value, and let yourself be controlled by those desires. Imagine a person who is very thirsty and drinks salt water, will never quench thirst. The most important is the balance, when we cultivate only the external we are surviving and not living.

Is Attachment the Great Villain of Relations?

Attachment is one of the great causes of suffering, and there are several levels of attachment some more subtle and some not. It has the attachment, the family, the husband, the woman, the material things, including the attachment to itself. One way of gradually detaching (and when I say detachment does not mean denying the external or the money) is to understand the law of impermanence. Attachment arises from our wrong view of finding that all external phenomena that we can experience through the five senses are permanent. That’s where attachment comes in, but when you understand impermanence, you will not automatically have to have attachment, for nothing belongs to us. Attachment does not let us be in the present time, living in fear of losing something and with that expectation of the future, then it generates anxiety and worry. That is why when we understand impermanence it is wonderful because we can live the present. We need not deny anything, the pleasures of a good home, good food, but know that it is fleeting, and if tomorrow there is not I am happy alike. When we allow ourselves to be present we understand that every moment is an opportunity to enjoy life. Many have the bad habit and the tendency to speak ”