Filme – Invictus / Movie – Invictus

Filme Invictus – Nelson Mandela

por Felipe Bauer
A história de um preso político que por querer igualdade e justiça foi tratado como um terrorista, ficou preso por 27 anos, seu filho morreu de uma forma trágica e nunca explicada, não viu seus outros filhos crescerem, sua família foi mal tratada e seus amigos presos ou assassinados, ele tinha todos os ingredientes para que a raiva e ódio tomassem conta de si, mas ele preferiu fazer diferente, através da razão, perdão e compaixão foi se tornando um grande exemplo de ser humano e líder.
Quando se tornou presidente podia ter dado aos brancos opressores os mesmos maus tratos e injustiças que ele e os negros receberam, mas ele sabia do poder do medo e onde ele os levaria, não se deixou cegar, ele olhava para o futuro querendo fazer do presente um lugar melhor e usou a justiça, sabedoria e motivação como gatilhos para a transformação, e começou a mudar toda uma nação que a décadas estava em guerra.
Através do esporte motivou e uniu à todos, fez o que parecia impossível, o racismo e ódio ficaram de lado para dar lugar ao patriotismo e a paixão.
Um grande líder que não tomava decisões precipitadas ou mesquinhas mas com coerência, prudência e princípios, fez de si um exemplo e por isso se tornou tão admirado por onde passou.
Um homem com inteligência, consciência e humanidade muito além do seu tempo, ele via esperança onde todos já a tinham perdido, via solução onde ninguém mais achava, e conseguiu ir em frente até alcançar seus objetivos e começar uma nova era para a Africa do Sul.
Quando pensar em desistir lembre-se da força e do carácter e desse homem que passou por tantos desafios e da cadeia chegou à presidência.
Poema preferido por Nelson Mandela.
INVICTUS
 
“Dentro da noite que me rodeia
Negra como um poço de lado-a-lado
Eu agradeço aos deuses que existem
Por minha alma indomável
 
Nas garras cruéis da circunstância
Eu não estremeci e nem chorei em voz alta
Sob os duros golpes do destino
Minha cabeça sangra, mas não se curva
 
Além deste lugar de raiva e pranto
Paira somente o horror da sombra
E, ainda assim, a ameaça do tempo
Vai me encontrar e há de achar-me, destemido
 
Não importa quão estreito é o portão,
Não importa o tamanho do castigo.
Eu sou o dono do meu destino.
Eu sou o capitão da minha alma.”
-William Ernest Henley

Movie Invictus – Nelson Mandela

By Felipe Bauer
The story of a political prisoner who for wanting equality and justice was treated as a terrorist, was imprisoned for 27 years, his son died in a tragic and never explained, did not see his other children grow up, his family was poorly treated and his friends Arrested or murdered, he had all the ingredients for anger and hatred to take care of himself, but he preferred to do differently, through reason, forgiveness and compassion became a great example of being a human being and leader.
When he became president he could have given the oppressive whites the same mistreatment and injustice he and the blacks received, but he knew the power of fear and where he would take them, he was not blinded, he looked to the future wanting to make the present A better place and used justice, wisdom, and motivation as triggers for transformation, and began to change an entire nation that had been at war for decades.
Through sport motivated and united to all, did what seemed impossible, racism and hate were set aside to give way to patriotism and passion.
A great leader who did not make hasty or petty decisions but with consistency, prudence and principles, made him an example and therefore became so admired wherever he went.
A man with intelligence, conscience and humanity far beyond his time, he saw hope where everyone had already lost it, via a solution where no one else found it, and managed to go forward until he reached his goals and start a new era for South Africa .
When you thinking about giving up remember the strength and character and that man who has gone through so many challenges and the chain has come to the presidency.
Favorite Nelson Mandela`s poem.
Invictus
“Out of the night which covers me,
Black as the pit from pole to pole,
I thank whatever gods may be
For my unconquerable soul.In the fell clutch of circumstance
I have not winced nor cried aloud.
Under the bludgeoning of chance
My head is bloody, but unbowed.Beyond this place of wrath and tears
Looms but the Horror of the shade,
And yet the menace of the years
Finds, and shall find me, unafraid.

It matters not how strait the gate,
How charged with punishments the scroll,
I am the master of my fate:
I am the captain of my soul.

-William Ernest Henley